SEJA BEM-VINDO!!!!

SEJA BEM-VINDO!!!!
Este é um espaço dedicado à estudantes e profissionais de serviço social e também àqueles que tem interesse pelos assuntos sociais do nosso país, que acreditam e contribuem para a efetivação dos direitos de todos os cidadãos!

Seguidores

quinta-feira, 15 de julho de 2010

DO ABANDONO AO CRIME

DO ABANDONO AO CRIME
O desamparo de crianças está intimamente ligado a problemas sociais graves como a pobreza, violência, desemprego e exclusão. Abandonadas a própria sorte, crianças se tornam vítimas da violência, do tráfico de drogas, da prostituição ou pedindo esmolas nos faróis das avenidas das grandes cidades, ou ainda, jogadas precocemente à brutalidade da exploração do trabalho escravo e da mão de obra barata.
 Milhares de crianças que logo cedo perdem seus direitos simples de cidadão como o direito à saúde, à moradia, à alimentação e a uma família que lhes dê dignidade. A maioria vai para orfanatos que por sua vez são poucos e frequentemente apresentam deficiências estruturais e não conseguem suprir as necessidades físicas e emocionais.
 Inicia-se uma espera incansável por uma adoção que muitas vezes nunca acontece principalmente se forem crianças fora dos padrões de procura: as de pele negra, as maiores de quatro anos, os grupos de irmãos, e principalmente, as com algum tipo de deficiência, são as que têm menos chances de conseguir uma família substituta.
Diante da situação de pobreza e abandono, essas crianças ingressam na criminalidade e acabam brutalizadas em estabelecimentos penais, onde são punidas pela criminalização de seu comportamento e onde se reafirma sua condição de excluídos da sociedade. Permanecem privadas da sua infância e confinadas a uma existência sem futuro, impossibilitadas de exercerem sua cidadania.
Somente a democratização da sociedade com ações que visem o desenvolvimento econômico, gerações de empregos e a implantação de políticas sociais de saúde, educação, cultura e habitação poderão ensejar mudanças que podem reverter esse quadro de devastação da infância e a desestruturação de milhares de famílias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário