SEJA BEM-VINDO!!!!

SEJA BEM-VINDO!!!!
Este é um espaço dedicado à estudantes e profissionais de serviço social e também àqueles que tem interesse pelos assuntos sociais do nosso país, que acreditam e contribuem para a efetivação dos direitos de todos os cidadãos!

Seguidores

sábado, 22 de janeiro de 2011

Como entender o uso de drogas entre adolescentes? Onde buscar ajuda?

Será que apenas os jovens com problemas familiares ou com amigos drogados procuram as drogas? Será que poucos meses depois de fumar o primeiro baseado, o jovem vai começar a roubar os pais e os amigos?


"Cada ser humano tem uma história diferente, não existe uma fórmula que explique como, porque ou com que conseqüências um jovem procura as drogas", afirma o psicoterapeuta Flávio Gikovate, autor de livros como Drogas - Opção de Perdedor e A Arte de Educar. "No entanto, é possível dizer que o abuso de drogas por adolescentes é uma das conseqüências da cultura imediatista, desapaixonada e carente de novas idéias que vivemos nos últimos anos", afirma. Gikovate também destaca que a dependência das drogas não difere de outras como o comer ou o consumo compulsivo, que também cresceram muito nos últimos anos. "Vivemos numa sociedade que estimula a dependência, e que reprime os gestos autônomos com muito rigor, fazendo com que as pessoas busquem conforto em algo de que dependam".


Especialmente nas últimas décadas, em que as drogas viraram moda, diversas pesquisas científicas tentam identificar os motivos pelos quais o ser humano recorre às drogas: seria a influência do grupo, a insegurança diante da vida, a necessidade de aplacar a dor ou a fome, a busca do prazer? "Na verdade, o homem pode buscar a droga por todos esses motivos. Mas, entre os adolescentes, a droga tem uma relação direta com a falta de perspectivas, com o tédio, com a dificuldade de lidar com a vida de forma responsável. Não se sabe ao certo se esses aspectos são a causa ou o efeito da droga, mas o adolescente com pouco interesse pela vida e pelos relacionamentos humanos está mais propenso a procurá-las".


Crack

Princípio ativo:
O crack é uma mistura de cocaína em forma de pasta não refinada com bicarbonato de sódio. Esta droga se apresenta na forma de pequenas pedras e pode ser até cinco vezes mais potente do que a cocaína. O efeito do crack dura, em média, dez minutos.

Sua principal forma de consumo é a inalação da fumaça produzida pela queima da pedra. É necessário o auxílio de algum objeto como um cachimbo para consumir a droga, muitos desses feitos artesanalmente com o auxílio de latas, pequenas garrafas plásticas e canudos ou canetas. Os pulmões conseguem absorver quase 100% do crack inalado.


Efeitos:

Os primeiros efeitos do crack são uma euforia plena que desaparece repentinamente depois de um curto espaço de tempo, sendo seguida por uma grande e profunda depressão. Por causa da rapidez do efeito, o usuário consome novas doses para voltar a sentir uma nova euforia e sair do estado depressivo.



O crack também provoca hiperatividade, insônia, perda da sensação de cansaço, perda de apetite e conseqüente perda de peso e desnutrição. Com o tempo e uso constante da droga, aparecem um cansaço intenso, uma forte depressão e desinteresse sexual.


Os usuários de crack apresentam um comportamento violento, são facilmente irritáveis. Tremores, paranóia e desconfiança também são causados pela droga. Normalmente, os usuários têm os lábios, a língua e a garganta queimados por causa da forma de consumo da substância. Apresentam também problemas no sistema respiratório como congestão nasal, tosse, expectoração de muco preto e sérios danos nos pulmões.


O uso mais contínuo da droga pode causar ataque cardíaco e derrame cerebral graças a um considerável aumento da pressão arterial. Contrações no peito seguidas de convulsões e coma também são causadas pelo consumo excessivo da droga.

Onde buscar ajuda?


Genaro Joner


Mesmo que difícil e com poucos exemplos que sirvam
de comprovação, é possível que um usuário de crack
se recupere do vício.
A epidemia mata e destrói famílias, mas pode ser vencida.


Conheça lugares que abrigam essa luta e leia histórias que inspiram
e comovem. A maioria, infelizmente, de desfecho trágico.

Para buscar ajuda, veja telefones, endereços e dicas.

Além dos serviços oferecidos na rede pública de saúde, é possível contar com
 outros recursos disponíveis na comunidade, como os grupos de mútua ajuda
 - Narcóticos Anônimos (NA), Grupos Familiares e Grupos Familiares Nar-Anon
 do Brasil (Nar-Anon) -, assim como comunidades terapêuticas.

Narcóticos Anônimos - www.na.org.br
Entidade sem fins lucrativos, que reúne adictos em recuperação.
Telefones no RS e SC:
RS - Caxias do Sul: (54) 9122-0060
RS - Porto Alegre: (51) 3333-3550
SC - Florianópolis: (48) 9137-1953
SC - Lages: (49) 8816-9615

Clique aqui para encontrar uma reunião na sua cidade
O sistema de busca do Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas(Obid)
 permite acesso a instituições brasileiras que oferecem tratamento para dependentes
 de drogas como o crack. Pelo site, os interessados podem localizar a instituição 
mais próxima e utilizar filtros de busca por estados, cidades ou CEP.
Link: http://www.obid.senad.gov.br/portais/OBID/index.php


O governo federal, por meio da SENAD, mantém ainda a central telefônica VivaVoz
 (0800 510 0015), que presta orientação e fornece informações por telefone sobre o
 uso indevido de drogas. O serviço é gratuito e aberto a toda população e os
 atendimentos são realizados por consultores capacitados e supervisionados por
 profissionais da área de saúde. No Disque Saúde (0800 61 1997), também é
 possível obter mais informações.



Site ENFRENTANDO O CRACK: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário